Certforum é o espelho da evolução da Certificação Digital

01/08/2018

Desde a criação da Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD) entendemos que o Certforum era o principal evento do nosso setor e, por isso, sempre o apoiamos, divulgamos e participamos ativamente de sua realização.

Julio Cosentino é presidente da Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD)

Por Julio Cosentino

Na 15ª edição, no ano passado, apresentamos no primeiro dia do evento um mapa com os grandes números do nosso setor.

Falamos sobre a nossa relevância como segmento consolidado, responsável pelo emprego direto de 15 mil pessoas e de historicamente termos crescido ano a ano. Nesta edição, nosso vice-presidente Marcio Nunes falou sobre a evolução contínua das tecnologias ao longo do tempo com a palestra “Do gelo ao Blockchain”.

Ou seja, além de termos a exata noção de nosso papel na sociedade, sobretudo da relação Certificado Digital como infraestrutura para o desenvolvimento da economia, estamos sempre atentos à evolução da tecnologia. A Certificação Digital é hoje um segmento consolidado e muito bem instalado e que atende o Brasil em toda a sua extensão territorial. Estamos falando de um mercado de R$ 1 bilhão por ano e que funciona plenamente com regras bem definidas pelo Instituto de Nacional de Tecnologia da Informação (ITI).

Por meio de nossas associadas, representamos um setor que cumpre um papel importantíssimo na cadeia produtiva brasileira, na redução de custos, na eliminação da burocracia, na inibição de fraudes, tudo num ambiente virtual com a máxima segurança e validade jurídica.

Ao longo dos anos as empresas do setor construíram uma grande estrutura a partir de investimentos na média de 15% dos seus faturamentos, o que representa US$ 2 milhões por ano. Temos 11 mil agentes de registro, ativos estimados em US$ 4 bilhões e damos suporte a operações equivalentes a 71% do produto interno bruto (PIB).

A caminho a ser percorrido, sabemos, ainda é longo, sobretudo em relação à pessoa física. Trabalhamos para que o uso da certificação digital possa ser democratizado. Por isso todos os dias novos benefícios são implantados. Ampliar essa base de usuários é o nosso maior desafio.

A edição deste ano do CertForum trouxe inovações ainda maiores, colocou em discussão temas da máxima relevância para todo o mercado e com grande influência sobre a economia. Sentimos, a partir de tudo isso, que nosso papel como um dos indutores desse processo de retomada do crescimento é fundamental. Os temas reforçaram ainda mais o nosso segmento como infraestrutura básica que ajuda nos avanços da economia do nosso País.

O CertForum, de forma inteligente, mescla experiências de representantes dos setores público e privado e uma grande diversidade de temas que tratam da certificação digital no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil. Desta forma, até pelas interfaces que se realizam e nas divulgações de novas tecnologias e ideias, o CertForum se transforma num difusor de inovação.

Por isso considero como mais destacável, neste momento, o crescente interesse de outros públicos manifestado a cada edição. Como a Certificação Digital tem apresentado novos usos todos os anos, ampliando sempre seu leque de utilizações, a cada edição novos públicos acabam sendo agregados.

Nesta versão, por exemplo, houve palestras e discussões sobre o uso no campo educacional, por meio de diplomas e acervos acadêmicos digitais; no campo da saúde, através dos prontuários eletrônicos; a utilização em compras do governo e concorrências públicas; a Certificação Digital associada ao uso cada vez maior nas interfaces com o cidadão, no caso dos serviços públicos, e até o uso em bombas de gasolina. São experiências ricas e que indicam o caminho de tornar o Certificado Digital cada vez mais simples e acessível a todas as empresas e pessoas.

Para mim, o CertForum é também uma oportunidade de o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação apresentar sua avaliação do setor e falar das diretrizes e números atuais. Neste ano, o presidente Gastão José de Oliveira Ramos enalteceu o atual momento de modernização e desburocratização do Estado, quando serviços deixam de ser analógicos e passam a ser totalmente digitais. Tomei dele uma frase que considero da mais alta relevância:

“O maior objetivo do ITI enquanto entidade de Governo é fazer com que o Certificado Digital ICP-Brasil esteja nas mãos de todos os brasileiros, para que estes possam realizar atos da vida civil por meio da internet, com segurança tecnológica, validade jurídica e o não repúdio garantido pela certificação digital ICP-Brasil”.

Essa é também a nossa agenda. É quase uma obrigação nossa, como responsáveis – através de nossas associadas – por cerca de 90% do setor, apoiar, estimular e divulgar ao máximo o CertForum e a Certificação Digital. Temos de agir, todo o tempo, de forma didática e mostrar que o certificado digital ICP-Brasil é uma ferramenta que garante praticidade e segurança às transações feitas via internet, que desburocratiza e reduz custos.

Em sua fala, Marcio Nunes explicou a evolução da tecnologia com a história da indústria do gelo nos EUA, que caminhou da coleta de gelo, em lagos artificiais, até a fabricação das geladeiras. Foi um período de três gerações. É nisso que acreditamos, que com o trabalho de cada ponta da certificação digital iremos buscar cada vez mais a acessibilidade, a ampliação de uso, a ponto de tornar essa tecnologia, um dia, uma infraestrutura de uso comum e diário, de forma totalmente descomplicada e prática. E esperamos, claro, que pela velocidade dos tempos atuais, isso se dê no menor prazo possível.

*Julio Cosentino é presidente da Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD)


Veja a notícia original Voltar