É crescente o uso do certificado digital, em destaque a saúde

16/01/2018

A certificação digital, presente em vários momentos na vida das pessoas, muitas vezes passa incógnito na percepção de eficiência dos processos. A rapidez em atendimentos em processos conclusivos, nas soluções de transações de valores online, quase sempre tem por trás o certificado digital e a gama enorme de benefícios que ele proporciona. Um dos melhores exemplos são os hospitais que o integram em seus sistemas e fazem o Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) a partir da utilização da Certificação Digital.

Os pacientes brasileiros também aos poucos vão se beneficiando dessa implantação e sentindo que o atendimento de sua saúde gradativamente melhora e se torna mais eficiente. Com o certificado digital os dados e informações referentes ao paciente se tornam mais acessíveis, é possível saber procedimentos anteriores, recomendações médicas, condução do tratamento e a responsabilidade do médico fica patente.

Esse histórico da saúde do paciente evita o preenchimento sistemático de fichas em papel, que muitas vezes se extraviam ou se perdem para sempre e que nunca são recuperados para uso no momento certo, sem contar a necessidade de arquivos físicos que ocupam muito espaço. Tanto quanto toda a medicação que foi receitada ao paciente, quanto a famosa letra de médico, que também muitas vezes é de difícil compreensão, deixam de ser um problema, na medida em que tudo é digitado e guardado de forma segura com o certificado digital e a assinatura do médico que fez o atendimento.

Desta forma, todas as decisões que são tomadas ficam registradas. Nas clínicas particulares, são anotados inclusive os dados financeiros e administrativos, forma de pagamento do plano de saúde ou ainda se o atendimento ocorreu por meio do Sistema Único de Saúde. O sistema é eficaz em relação a saúde do paciente e fica mais simples, se reduz muito o custo final dos processos.

Essa é apenas uma das muitas funções e benefícios que o certificado digital proporciona. Neste caso, elimina riscos de perda de fichas, evita medicação errada ou proibida em casos de  alergias, torna o atendimento mais seguro com as informações históricas do paciente. O atendimento fica mais rápido, permite maior segurança na abordagem médica e na definição do diagnóstico, elimina o uso de papel e permite aos profissionais maior tempo para analisar o caso e encaminhar a cura com maior segurança e convicção.

A assinatura digital, por tudo isso, já é uma realidade na maioria dos grandes hospitais do País, mas ainda há um enorme caminho a ser percorrido em clínicas e consultórios, inclusive de outras modalidades: por exemplo o certificado digital que viabiliza os prontuários médicos pode ser aplicado a consultórios dentários e veterinários. O importante é o princípio da segurança de dados, da inviolabilidade e da qualidade e não menos importante, a maior responsabilidade de quem tem a capacitação legal.

 

Por:Antonio Sérgio Cangiano – diretor executivo da Associação Nacional de Certificação Digital (ANCD)


Veja a notícia original Voltar